Quem é Vitalik Buterin, o mais jovem bilionário no mundo das moedas digitais

Caso você não saiba, o time fundador da plataforma Ethereum é quase como grupo de pagode: tem um bocado de gente no palco. Sete pessoas ajudaram a erguer a moeda virtual ether, cuja popularidade rivaliza com o bitcoin. Uma delas, Vitalik Buterin, estrea na lista de super ricos da revista Forbes como o mais jovem bilionário das criptomoedas.

A fortuna de Buterin, baseada em sua carteira virtual de ether, alcança os 333.520 ETH (cerca de 1,15 bilhão de dólares na cotação desta quarta-feira). A chegada ao clube dos criptobilionários está relacionada a uma alta do valor da moeda, que chegou ao patamar de 3 mil dólares pela primeira vez na manhã dessa segunda-feira (3), começando a semana em uma alta de 325% em comparativo com o primeiro dia do ano.

Nascido em Kolomna, cidade alemã próxima a Berlim, Vitalik Buterin ajudou a fundar a plataforma Ethereum em 2014, quando tinha apenas 20 anos. Antes disso o jovem já canalizava seu interesse sobre moedas digitais, inspirada pelo pai, escrevendo a respeito do assunto na internet. Seu primeiro trabalho em um blog foi também seu primeiro salário em moeda digital – “[Me ofereceram] cinco bitcoins por artigo, que valiam 4 dólares na época”, conta em entrevista à Tank Magazine.

Em setembro de 2011, Buterin e colegas da cena criaram sua própria publicação, a Bitcoin Magazine. À época, o recém-bilionário dividia sua dedicação ao periódico com as obrigações da faculdade em Toronto, Canadá, onde estudava ciência da computação. O jogo de bola dividida não durou muito: após oito meses do início das aulas, ele decidiu largar o curso e se dedicar a uma carreira em criptomoedas.

O primeiro rascunho do que seria o Ethereum foi desenvolvido por Buterin em 2013, quando ainda trabalhava para uma plataforma de bitcoin em Israel. A proposta básica era criar uma plataforma de blockchain (o registro digital e descentralizado em que se certifica e anota transações de uma dada moeda digital) que não atendesse apenas a interesses comerciais e especulativos: o Ethereum poderia funcionar para qualquer tarefa que pudesse ser programada e se beneficiaria do mesmo rigor do blockchain, como contratos e assinaturas digitais. O ether entra como a moeda de troca dentro do Ethereum, mas sua particularidade é que a mesma plataforma pode receber outras aplicações não relacionadas à criptomoeda – da mesma forma que um computador pode receber programas diversos, como navegadores e editores de vídeo.

Após a criação desse primeiro esboço, o jovem passou a ser responsável por desenvolver o protocolo que define as regras futuras do Ethereum, papel que cumpre até hoje. A moeda, vale lembrar, vem chamando a atenção por ser um dos principais itens de troca no exótico mercado das NFTs. Além disso, já há algum tempo tanto ether quanto bitcoin são criticados por seu impacto ambiental. Ainda que seja bem mais jovem que o padrão do bilionário, Vitalik Buterin ainda é quase 10 anos mais velho que Kevin David Lehmann, herdeiro da rede varejista alemã dm-drogerie markt e, aos 18 anos, o bilionário mais precoce sengundo a Forbes – sua fortuna é avaliada em US$ 3,3 bilhões.

https://gq.globo.com/Lifestyle/Tecnologia/noticia/2021/05/vitalik-buterin-mais-jovem-bilionario-moedas-digitais-ethereum-forbes.html

Michael Ellis

Author: Michael Ellis

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *